29 de maio de 2009

QUEM LÊ SABE MAIS!


Blog criado para promover a interação entre os profissionais que atuam em bibliotecas municipais em Blumenau.Relate atividades sobre Leitura e Pesquisa realizadas nos seus locais de trabalho.Postem artigos ou dicas de leitura. deixe seu comentário.

DICAS QUE FACILITAM O HÁBITO DE LER:

Em primeiro lugar,leia por prazer, descobrindo através da leitura um meio de deixar fluir a imaginação.

Seja cuidadoso com seus olhos, fazendo exames frequentemente.Leia sempre onde houver boa iluminação. Se precisar usar óculos, use. Seus olhos são preciosos.

Traga sempre um livro consigo, quando estiver ocioso, inicie uma leitura, optando por livros fáceis de carregar.

Ler na tela do computador, nem sempre é confortável, mas atualmente existem e-books com imagens lindas e com apenas um clique, você lê rapidamente.Como ele está na rede, você acessa quando quer.

Ao procurar um livro numa livraria ou biblioteca, preste atenção nas pessoas que indicam uma boa leitura. Elas devem respeitar seus gostos, mas na falta de um título que você procura, pode oferecer outro livro do qual você possa gostar.

Livros são caros, procure-os em sebos, costumam ser bem mais baratos.Há sebos virtuais também.

Leia muito e de tudo, seja livro, revista, jornal, não importa.O importante é ler.

Colabore com outros: presenteie seus amigos com livros. São presentes inteligentes.

Para nunca esquecer:

"A melhor maneira de preservar um livro é fazer com que ele permaneça vivo na memória. Portanto deve ser lido sempre.A finalidade de um livro é disseminar o conhecimento."

PARA REFLETIR!

Daqui a 5 anos você estará próximo de ser a mesma pessoa que é hoje, exceto por duas coisas: os livros que ler e as pessoas de quem se aproximar. (Charles Jones)

PROJETO LEITURA E PESQUISA


"Ler é expressar o desejo de buscar o desconhecido"
(M. de Fátima)

E. B. M. Pastor Faulhaber - Blumenau - SC
Biblioteca Princesa Isabel



Por uma educação de qualidade (Abril/2009)
Maria de Fátima Martins Baumgärtner


Todos os meios de comunicação estão mostrando a realidade da educação atual. Sabemos que nada muda de repente, mas se ficarmos esperando alguém fazer algo, é que nada mudará, ou seja, não basta mostrar a situação, há que haver comprometimento para estabelecer um foco de atuação e primar por ele. Não dá pra ficar brincando de educar, ou falamos a mesma linguagem e agimos da mesma forma, ou perderemos crédito em nossas funções, sejam elas quais forem. O educando precisa encontrar um tripé onde se apoiar, mantendo este suporte por toda a sua vida. Este tripé é formado pela referência no educador, a disciplina mediada e o vínculo afetivo estabelecido numa relação de confiança. O três fatores são distintos entre si, mas se complementam, ou seja, um não existe na ausência do outro. O educando está sempre testando o professor, os pais, ou outra pessoa que o eduque. O motivo é um só, a busca do sentido para suas ações futuras. É como se ele sempre perguntasse, se poderia ou não tomar certa atitude. Cujo ato para o adulto, acontece num determinado tempo de ação, e se denomina erro. O que o faz pensar assim, é o fato de ter vivido certas experiências. Não há receita para tudo. Por isso nem sempre dá certo o que se faz. Mas não se pode desanimar, cada situação pede uma atitude, pois todos somos diferentes. Ao nos depararmos com situações indesejáveis, nem sempre somos prudentes ou pacientes como deveríamos ser. Somos impulsivos ao agir e por fim, incapazes de perdoar erros de percurso em nosso cotidiano, muitas vezes oriundos de fatores bem mais complexos do que uma questão de momento. Quando um problema se instala, muitas vezes a primeira atitude que temos é julgar e criticar, quando na verdade o que se deve fazer, é diagnosticar para descobrir o porquê de tal acontecimento. O educando em primeiro plano é ser humano em desenvolvimento, tal qual outra pessoa, apenas diferindo na idade, tanto cronológica quanto mental. Partindo deste pressuposto, fica fácil perceber que noção de limite deve ser dada todo o dia, seja em qualquer ambiente em que estejamos inseridos, por todos aqueles que se encontram no mesmo. Toda rebeldia é um pedido de socorro, que nem sempre é compreendido. Tudo isso é repetitivo, dizem, mas é assim que se alcançam objetivos, com persistência. Ao invés de ficar na platéia como expectador, vamos unir forças em prol da educação. O que está acontecendo, é que muitos profissionais estão atuando em áreas desconhecidas, tentando ¨descobrir como fazer¨ e muitos especialistas são ignorados por questões diversas. Enquanto isso acontecer, nada vai mudar. Ninguém ama o que não conhece e nem dá o que não tem. Se alguém faz o que desconhece, é apenas porque lhe convém. Percebe-se então que há uma falta de estrutura e planejamento, por parte de uma equipe gestora que oriente e capacite profissionais visando um ensino de qualidade. Já os pais muitas vezes, não acreditam na capacidade dos filhos. Então projetam para eles um futuro que nunca chega, pois cada indivíduo, tem suas habilidades e desejos, que aos poucos vão determinando uma trajetória de sucesso ou de fracasso. Cabe aos pais apenas orientá-los neste processo cotidiano e facilitar o acesso aos mecanismos de ação ou de defesa diante das diversidades de atitudes que serão tomadas por eles. Tanto os educadores quanto a família devem dar tempos e espaços aos educandos para que o mesmos exercitem seus mecanismos cognitivos, podendo assim apropriar-se da autonomia necessária para “viverem experiências futuras”. Há quem diga que não há futuro. Imagine alguém ter como mediador alguém que não acredite no futuro. Seria incoerente educar, pois educação é propósito futuro, que pressupõe que podemos mudar preparando o indivíduo para uma sociedade melhor. Se apenas educamos para o hoje, então não acreditamos na sucessão dos dias. Mas não pensemos no futuro como sendo nosso. É preciso desprender-se dele. Pois ele não nos pertence, nós é que pertencemos a ele. E isso não quer dizer que ele não exista. Como uma mulher grávida poderia olhar para sua barriga que se projeta para frente dando vida ao um novo ser, sem acreditar no amanhã... Eis aí o milagre da vida que projeta o futuro. Ela cria o novo ser que deixa como extensão da sua vida passada. O filho nasce para o futuro... Filho do universo. Os pais não devem pensar no filho, como forma de propriedade. O filho vem ao mundo para viver sua própria vida. O filho vem através dos pais e não para os pais. É dolorido admitir isso. E há quem pense que sendo assim, não tem responsabilidade para com seu rebento. Mas na verdade quando o filho nasce, surgem responsabilidades para toda a vida. A vida é aprendizado e a teoria deve ser associada a ela. Cada ato cometido por menores nos faz refletir. Onde andam seus pais, quem foi seu mestre, diga-me com quem andas e dir-te-ei quem és... Porém, isso não é suficiente. Dar atenção, amor e limite, é tudo. E é tudo o que eles precisam. Não adianta só escrever e falar sobre estes assuntos, mas quem escreve e fala sobre isso com certeza já está fazendo alguma coisa. Faça você também a sua parte. A sociedade agradece.

********************************
M. de Fátima entregando trabalho de alunos seus em 2006 para Marcos Pontes
Eu atuo há 20 anos na área educacional, desenvolvi e atuei em projeto na área de INFORMÁTICA. Sou Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional. Em 2007 iniciei as atividades na E.B.M Gustavo Richard como agente de biblioteca. Atualmente atua na Biblioteca Princesa Isabel da E.B.M Pastor Faulhaber desenvolvendo o Projeto de Leitura e Pesquisa, pela Rede Municipal de Blumenau, (SC - Brasil) . Ah! Havia esquecido... adoro escrever poemas. Dou início ao referido blog, com a finalidade de reunir todos os profissionais que atuam nas áreas afins e que quiserem colaborar, postando seus relatos.

NOSSOS COLABORADORES

Estes foram alguns dos nossos amigos colaboradores na mediação da Leitura e da Pesquisa em sala de aula e nas bibliotecas de Blumenau.

Marcos Pontes,
Marcos Cesar Pontes, Primeiro Astronauta Brasileiro, nascido em 11 de março de 1963 na cidade de Bauru, SP. Começou sua carreira profissional aos 14 anos, como aluno do SENAI e eletricista aprendiz da Rede Ferroviária Federal - RFFSA, para pagar pelos seus estudos e ajudar no orçamento de casa.

Carlos Leite Ribeiro, PRESIDENTE DO PORTAL CEN - "Cá Estamos Nós", nasceu em Lisboa, na freguesia de São Jorge de Arroios, no dia 05 de Março de 1937. Filho de Acácio Sousa Ribeiro e de Irene Martins Leite Ribeiro. Viúvo desde Junho de 1982. Pai de 2 filhos, Carlos Manuel e João Carlos Pascoal Leite Ribeiro. Mora desde Setembro de 1967, na Marinha Grande (Leiria - Centro de Portugal).(Prof. Mestre)

Yara Mello, Presidente da Liga dos Amigos do Portal CEN - "Cá Estamos Nós", Vice-Directora do Portal CEN -"Cá Estamos Nós".

Terezinha Manczak, Vice-Coordenadora do III Encontro de Escritores do Portal CEN - "Cá Estamos Nós",sócia fundadora da Sociedade Escritores de Blumenau,presidente em 2004 e neste ano de 2009.

Luiz Eduardo caminha, Coordenador do III Encontro do Portal CEN - "Cá Estamos Nós", é médico nascido em Florianópolis em 04/10/51, dia de São Francisco de Assis, recebendo o grau de médico, em 1976, pela Universidade Federal de Santa Catarina. Fez Residência Médica em Cirurgia geral e Colo-Proctologia no Rio de Janeiro e Pós Graduação em Londres e Wiesbaden (Ex-Alemanha Ocidental).

Encontro de professores em Blumenau.


Que maravilha é a leitura. Nossa coordenadora Yone trouxe pérolas da educação em 2008 para Blumenau. Enriqueceu nosso conhecimento.





POSTAGENS

Digite o assunto da sua pesquisa

Siga nosso blog!

Alguns dos blogs que sigo

CLIC RBS

clicRBS

Últimas notícias

Carregando...

Postagens mais acessadas

Você é muito especial!

Ocorreu um erro neste gadget

Mapa do local

ALFABETO DO TANGRAM